X Fechar
Ao internar fique atento a estas orientações

Postado por semdrogas em 19-07-2011 com 2 comentários

Ao perceber a presença da doença, o primeiro passo é buscar informação sobre ela. Não resolve se desesperar ou olhar para o passado e procurar culpados.

 

O indivíduo que decide usar drogas o faz por opção, embora alguns fatores externos, sejam de caráter econômico, curiosidade ou influencia de amigos, contribuam para que se adquira essa patologia. No entanto, na maioria das vezes, deixar de fazer uso dessas substâncias não depende mais de uma simples escolha do usuário.

 

A dependência química age no córtex frontal, responsável pelo senso que define o certo e o errado, o emocional e o racional. Por essa razão, é uma patologia que

impossibilita o paciente de perceber-se e reconhecer-se adoecido, e isso, conseqüentemente o impede de buscar ajuda para si.

 

Quando o indivíduo fica sem a sua droga de preferência, passa a sentir desconforto, irritação, depressão, ansiedade e outras sensações onde o alivio só é encontrado no consumo. Com isso, passa a haver uma necessidade e o indivíduo não escolhe mais se vai ou não usar. A partir daí a doença passa para o ponto de lhe privar a liberdade e o direito de escolha.

 

Neste contexto, cabe a família observar seus comportamentos inadequados e condicioná-lo a algum tipo de tratamento. A observação e intervenção da família é fundamental para salvaguardar a vida de seu familiar e em muitos casos, a vida de terceiros.

 

Mas atenção!!

O tratamento da Dependência Química é muito complexo por tratar-se de uma multi patologia. Portanto, antes de confiar seu familiar a alguma Clínica procure saber:

1°) Se ela tem um staff multi profissional. Este deve ser composto por profissionais das seguintes áreas:


- Médico Psiquiatra: A função deste profissional é muito complexa dentro do tratamento da dependência química. É ele quem estuda, previne, diagnostica e faz atendimentos de reabilitação das doenças mentais de acordo com a necessidade de cada paciente. Deve-se, portanto, buscar saber se este profissional é qualificado e se tem registro junto ao Conselho Regional de Medicina, inclusive de Responsabilidade Técnica da Clínica em que atua.

 

- Médico Clínico Geral: Este profissional é igualmente importante dentro deste processo de desintoxicação e tratamento, pois é ele quem diagnostica, previne e trata doenças relacionadas ou não ao uso e abuso de drogas, bem como auxilia no processo do aumento da imunidade, crises alérgicas e eventuais ferimentos ou infecções que o paciente possa apresentar.

OBS: Ambos os profissionais citados acima devem estar no mínimo até duas vezes por semana disponíveis na Unidade de Internação e devem constar como Responsáveis Técnicos junto ao Conselho Regional de Medicina.

- Psicólogo: A presença deste profissional é fundamental durante o tratamento. É ele quem ajudará o paciente e os seus familiares a compreender seus mecanismos emocionais acolhendo suas angustias e fortalecendo seu poder emocional para que as atividades diárias se tornem mais produtivas e eficazes, os relacionamentos mais saudáveis e os projetos de sua vida mais viáveis. É importante saber que tipo de atendimento a Clínica oferece a família, uma vez que esta, freqüentemente “adoece” junto com o paciente e necessita de atenção tanto quanto ele. Os psicólogos devem apoiar os familiares orientando-os sobre a doença e como relacionar-se com o paciente durante e após a internação. Este profissional deve comprovar o vínculo com a Clínica através de Registro junto ao Conselho Regional de Psicologia.

 

- Enfermagem: A Clínica deve dispor de urna equipe de enfermagem 24 horas. Esta deve desenvolver diariamente o cuidado com cada paciente proporcionando satisfação, interação, saúde, bem estar físico e mental, buscando contribuir no alcance de resultados em todos os aspectos do indivíduo. É fundamental certificar-se se esses profissionais são registrados junto ao Coren e se estão habilita dos a exercer sua função.

 

- Terapeuta Ocupacional: Este profissional também é importante durante o período em que durar o tratamento. Ele pode ser um auxiliador no processo de reabilitar, readaptar e reinserir socialmente o paciente além de ajudá-lo na compreensão do mundo externo (a realidade) e do mundo interno (os pensamentos e as emoções).

 

- Terapeutas ou Conselheiros em SPA, devidamente formados e credenciados pela Febract ou Cruz Azul do Brasil, para dar suporte e cuidados ao dependente internado, especialmente em suas crises de abstinência da droga. É necessário ainda uma equipe funcional, seguranças ou monitores 24 horas para dar assistência e orientação comportamental ao paciente visando a retomada no senso de organização, responsabilidades e limites.

 

2°) Se tem um Programa Terapêutico.


3°) Se é legalmente instituída junto aos órgãos do Município em que atua, COMEM, vigilância sanitária entre outros.


Compare!

Existem muitas Clínicas especializadas neste tipo de serviço, mas fique atento! Há um ditado popular que diz que o “barato sai caro” e no que refere-se ao tratamento da dependência química isso é crucial para um bom resultado. Internar o paciente num local sem preparo pode tornar ainda mais grave a doença e muito traumática qualquer outra tentativa de ajuda.

Uma boa Clínica deve em suma, oferecer todos estes profissionais além de um ambiente sadio, conforme Resolução 101 da Anvisa. Então pesquise com tranqüilidade para que a primeira abordagem de tratamento do seu familiar não gere transtornos e traumas para ele e para a família. Agindo assim você terá segurança, discrição e maiores chances de resultados satisfatórios no tratamento.

Desejamos sucesso em sua busca!

Compartilhar:

Comentários

2 comentários
  1. Marco

    “O indivíduo que decide usar drogas o faz por opção, embora alguns fatores externos, sejam de caráter econômico, curiosidade ou influencia de amigos, contribuam para que se adquira essa patologia”.
    O principal fator é interno, é o problema emocional. Sem o disturbio emocional ninguém fica dependente. Pode até usar eventualmente, mas não fica viciado.
    Assim, a opção pelo uso não é simplesmente curiosidade ou influencia, mas a necessidade de mitigar ou substituir um estado emocional deficiente.

  2. tatiana oliveira

    por favor preciso de ajuda meu irmao ja ficou em varios hospitais q tratam dependentes quimicos hospitais publicos mas sao somente 21dias cada internaçao
    pois nao temos condiçoes de pagar uma clinica particular pra ele ficar mais tempo internado voçes podem me da uma luz por favor se tem alguma clinica aqui em porto alegre que nao precisase pagar q fizesse essa internaçao involontaria q ele nao podesse sair a nao ser com a autorisaçao do responsavel ele usa crack a 10 anos ja tentamos de tudo ele sai clinica consegue ficar 3 dias sem usar nada mas depois acaba caindo novamente rouba de nos em casa dorme no patio anda que ne um menigo tem um filhinho de 7 anos que o ama demais e ve tudo q o pai ta passando minha mae ta se destruindo cada dia que passa nao consigo ver isso e nao fazer nada se ele nao quer se ajudar eu como irma vou tentar ajuda-lo por favor me ajudem me de uma orientaçao como faço pra conseguir interna-lo desde ja sou muito grata pela ajuda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>