X Fechar
This is an example of a HTML caption with a link.
Maconha aumenta o risco de psicose

Postado por semdrogas em 19-04-2011 com nenhum comentário

Pessoas que consumiram maconha na adolescência ou no início da vida adulta enfrentam maior risco de apresentar sintomas de psciose mais tarde, afirma um estudo recém-divulgado.

 

A pesquisa, realizada pelo professor Jim van Os, da Universidade de Maastricht, da Holanda, foi feita na Alemanha, e contou ainda com pesquisadores da Suíça e da Grã-Bretanha. A psicose é uma desordem mental na qual o indivíduo perde o contato com a realidade. O estudo, publicado na revista especializada British Medical Journal, acompanhou um total de 1.923 pessoas ao longo de um período de dez anos. Apesar de as relações entre maconha e psicose já serem conhecidas, ainda não estava claro se era a maconha que desencadeava os sintomas dessa condição ou se as pessoas se sentem propensas a consumir a droga devido a seus sintomas. A pesquisa indica que a primeira hipótese é a mais provável.

 

Estudo

Os participantes da pesquisa tinham entre 14 e 24 anos. Eles foram avaliados em períodos distintos para aferir possíveis relações entre o uso de maconha e de manifestações de sintomas psicóticos.

 

O primeiro período estudado foi feito três anos após o início da pesquisa. A segunda amostragem ocorreu oito anos depois que a pesquisa começou. E a conclusão ocorreu dez anos após o começo do estudo.

 

Os pesquisadores colocaram os que já fumavam maconha em um grupo e excluíram os que apresentavam um quadro pré-existente de psicose, para que pudessem melhor estabelecer as ligações entre novos usuários de maconha e a apresentação de sintomas da doença.

 

A pesquisa também teria mostrado que aqueles que já fumavam maconha na época do começo da pesquisa enfrentariam riscos mais elevados de apresentar sintomas psicóticos persistentes.

 

Aumento

O estudo concluiu que o uso de maconha aumenta ”significativamente” a incidência de sintomas psicóticos, mesmo quando outros fatores, como situação sócio-econômica, o uso de outras drogas e de condições psiquiátricas estão em jogo.

 

Além de afirmarem que o uso da maconha é um fator de risco para o desenvolvimento de sintomas psicóticos, os cientistas envolvidos com a pesquisa disseram também que ”o uso repetido de maconha pode aumentar o risco de sofrer desordens psicóticas por ter impacto na persistência dos sintomas”.

 

De acordo com Robin Murray, professor de pesquisa psiquiátrica do Instituto de Psiquiatria da Grã-Bretanha, a pesquisa representa ”mais um tijolo no muro de provas”, de que o uso da maconha contribui para formas de psicoses como a esquizofrenia. Segundo Murray, a pesquisa é um dos dez estudos similares que apontam nessa mesma direção.

 

Escrito por Dr. Ronaldo Laranjeira

Publicado em: Destaques, Drogas

Tags: , , ,

Comentar / Ver comentários
Fechar comentários

Comentários

Nenhum comentário ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Consumo indiscriminado de “pílulas da felicidade” pode aumentar riscos à saúde

Postado por semdrogas em 19-04-2011 com nenhum comentário

Globo News

Publicado por Uniad

Os remédios psiquiátricos são cada vez mais consumidos na medida em que a sociedade fica cada vez mais estressada. Não é de hoje que as pessoas se valem de substâncias químicas para tentar escapar do sofrimento. Na antiguidade, o filósofo grego Epicuro já alertava: procurar a felicidade longe de nós é o que nos impede de encontrá-la.

 

Stress

O conselho é ótimo, mas muita gente procura mesmo é um remédio. As pílulas que prometem tranquilidade e equilíbrio se sucedem. Os remédios psiquiátricos são cada vez mais consumidos na medida em que a sociedade fica cada vez mais estressada, com a agitação e as pressões da vida moderna.

 

Aumento do consumo de remédios

 

A venda indiscriminada de ansiolíticos e antidepressivos dispara. Crescem também os riscos à saúde.

 

Confira a matéria com vídeo

Comentar / Ver comentários
Fechar comentários

Comentários

Nenhum comentário ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Quando procurar ajuda?

Postado por semdrogas em 15-04-2011 com 2 comentários

Dra Luciana Laube
Psicóloga
CRP-12 / 06999
Textos extraídos com base em fontes no site da UNIAD

Se você observar que seu filho ou outra pessoa apresenta mudanças de comportamento, tais como tornar-se mais desligado, depressivo, indiferente ou desmotivado, ou, ao contrário, mais eufórico/elétrico ou com muita energia, apresentar dificuldades na escola, trabalho, núcleo familiar, mudança no grupo de amigos e se afastou da família.

 

Se ele apresenta, ainda, atitudes dissimuladas, resistência à convivência e ao diálogo, respostas evasivas, ou mesmo ausência de respostas quando abordado, possivelmente alguma substância está interferindo no dia-a-dia deste. Ficar muito tempo fora de casa, faltas ao trabalho não justificadas, isolamento, não apresentar os novos amigos ou gastar muito mais dinheiro do que o comum, sem revelar exatamente em quê pode também significar uma mudança relacionada ao consumo de drogas.

Continue lendo…

Comentar / Ver comentários
Fechar comentários

Comentários

2 comentários
  1. Ezi Chang

    O BLOG É MAIS QUE ÓTIMO, COMO CORDENADORA DE UM GRUPO DO AMOR-EXIGENTE ME ORIENTO SEMPRE NAS MENSAGENS. OBRIGADA PELA AJUDA….ABRAÇOS.

  2. Elisangela

    Adorei o blog de vocês, estou encontrando bastante informações úteis. Continuem com o bom trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Libera Geral

Postado por semdrogas em 10-04-2011 com 4 comentários

Blog do Noblat

Publicado por Uniad

Esse negócio de liberar maconha é engraçado. Ou melhor, o motivo, ou desculpa – cada um chama do jeito que quiser – é engraçado.

 

“… trabalhar pela legalização e regulamentação do uso da maconha como a melhor maneira de combater o tráfico de drogas e suas consequências.”

 

“Vamos legalizar a maconha para combater o tráfico, …por ser a droga de uso amplamente majoritário no mundo (90% do consumo mundial de drogas)”.

 

Ah, tá! deixa ver se entendi: liberado ou legalizado, qualquer coisa serve, o uso da maconha acaba com o tráfico de drogas.

 

Mas, peraí. É tráfico de drogas ou tráfico de droga?

Se for tráfico de droga, tudo certo. Vamos legalizar que o tráfico acaba. Agora, se for tráfico de drogas (plural), a coisa não vai adiantar muito.

 

Além do mais, como já disse em outras ocasiões, esse povo, ex-presidentes e mais uns e outros, precisa passar cinco minutos na esquina batendo papo para saber como a banda toca.

 

A grana do tráfico não vem da maconha há muito, mas há muito tempo. A última geração que fuma maconha é a minha. Daí pra frente a maconha saiu de moda.

 

As gerações seguintes pegaram pesado na heroína – sexo, drogas e rock and roll. Jimmy Hendrix morreu afogado no próprio vômito por overdose de heroína. Janis Joplin morreu de overdose de heroína. Mas também para fazer o que ela fazia com a voz só tomando nos canos mesmo.

 

Depois veio a cocaína injetada também nos canos (nas veias) – o LSD, e coisas do gênero, eram para os doidões profissionais, aqueles que tomavam ácido para experiências, digamos, caleidoscópicas. O haxixe era a maconha dos riquinhos. O óleo de haxixe, que é a forma mais potente da droga, era um luxo.

 

Depois, com a AIDS a moda passou a ser cheirar cocaína. E agora estamos no crack que nada mais é que a borra que sobra no refino da cocaína.

 

Alguém conhece alguma maconhalândia, algum maconhódromo, ou coisa que o valha? Não. Não conhece – maconha, como já disse, é coisa da minha geração, ou seja, coisa de velho. Os que eu conheço que fumam maconha estão prá lá dos 50 e fumam em casa, na janela, depois do jantar, para relaxar – tem gente que toma vinho do porto, outros fumam sua maconha.

 

Agora, cracolândia todo mundo conhece, né? Tem uma em cada bairro, pelo menos no Rio de Janeiro, em São Paulo e nas grandes cidades do mundo.

 

Vamos combinar o seguinte. A grana que sustenta o tráfico não vem da maconha. A grana vem das drogas.

Publicado em: Destaques, Drogas

Tags: , ,

Comentar / Ver comentários
Fechar comentários

Comentários

4 comentários
  1. Anonimo

    semdrogas

    Se eu fosse você não confiaria muito nessas pesquisas feitas por cientistas de politica antidrogas não, ate onde eu sei, eles já tentaram ate provar que maconha causava aumento de hormônio masculino em mulheres, e bem depois de sair uma pesquisa que dizia que o numero de mulheres usuárias de maconha tinha aumentado , eu não posso de dizer que a maconha não faz mal algum, mas sei que o mal que ela faz não é muito maior que um chá de alecrim ou um café, conheço gente que fuma dez dos 15 anos, e hoje é medico, e não tem problema nenhum de saúde, a criminalização das drogas só interessa aos traficantes, políticos e moralistas, ter preconceito de algo que você não conhece é normal, mas tente pelo menos se colocar na pele de gente que realmente defende e usa a maconha como ideologia ou apenas usa porque não vê problemas em usar, a pessoas que sabem usar com responsabilidade, mas porque ela procura se informar, o que falta pra essa sociedade é informação, e o governo fingi que não existe o uso consciente porque ele acha que quem usa não consegue lucrar esse governo capitalistas.

  2. Larissa

    Semdrogas.
    Eu só quero plantar e fumar minha maconha sem dar dinheiro para traficantes.
    Será que eu to pedindo muito??

    ou entao eu nao devo pedir nada e continuar comprando de quem costumo comprar?

    Vc diz que fumar Maconha prejudica a terceiros por estar dando dinheiro aos traficantes. e se a maconha for leglizada e eu puder plantar? eu estarei sustentando o trafico se eu fumar so a maconha que planto?

    Eu concordo que o trafico de cocaina e crack nao vai diminuir. mas o motivo de legalizar maconha nunca foi acabar com a cocaina.

    O MOTVO DA LIBERAÇAO DA MACONHA E DAR O DIREITO DO USUARIO NAO SUSTENTAR O TRAFICO DE DROGAS. E DE PLANTAR SUA PROPIA MACONHA.
    O QUE HA DE TAO ERRADO NISSO PARA QUE A PENA SEJA HOJE EM DIA de 30 anos em uma prisao lotada?

  3. Thiago Barra

    maconha sair de moda? quem precisa ver como a banda toca é o autor desse post. O ponto vital nao é o tráfico, é a liberdade de eu fazer o que eu quiser com o meu sistema nervoso, desde que nao implique danos a terceiros.
    Quem ESTUDA a maconha sabe que ela é inofensível, a mais, isso sem falar do potencial medicinal, fabricação de tecidos, comida, ela é fonte de omega 3, enfim, coloca no google cannabis e remédio e boa leitura.

    • semdrogas

      Caro Thiago, devo discordar de você quando diz que quem usa droga é o unico prejudicado, pois isso não condiz com a realidade hoje. Quem usa drogas de forma direta e indireta prejudica a sociedade (através do patrocinio do trafico), a si mesmo e a sua família. E mais, procure você também informações sobre a maconha. Comece por sites confiáveis, que trazem informações vindas de pesquisas cientificas. Lá você vai descobrir a verdade sobre ela, o que ela causa, seus prejuzos e de que forma ela está sendo usada na medicina. Isto vai lhe permitir fazer uma escolha mais acertiva. Eu lhe indico o site da UNIAD (Únidade Nacional de Pesquisa em Ácool e Drogas). Boa leitura pra você e boa escolha!
      “LIBERDADE É VOCÊ PODER DECIDIR O QUE FAZER DE FORMA CONSCIENTE E BEM INFORMADO”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Onde encontrar ajuda?

Postado por semdrogas em 10-04-2011 com nenhum comentário

Clínica de Psicoterapia e Desintoxicação Verde Vale

(47) 3371.0178

(47) 8808. 9169

www.encontrocomavida.org

Comunidade Terapêutica Novo Amanhã

(47) 3392.3091

(47) 8812.8099

www.novoamanha.org.br

Clínica de Psicoterapia e Desintoxicação Encontro com a Vida
(47) 3371-0178 / (47) 8808-9169
www. encontrocomavida.org

Comunidade Terapêutica Vida Nova (menores de 12 a 18 anos)
(47) 3370-7529
(47) 3370-7867
www.abvn.org.br

Dr. Marcos Zaleski – Médico Psiquiatra
(48) 3225-5334 – Florianópolis -SC

Dra. Andréa Cristina Galastri – Médica Psiquiatra
(47) 3371-7284 – Jaraguá do Sul – SC

CAPS Álcool e Drogas (Caps-AD)
(47) 3370-5693.
saude.caps@jaraguadosul.com.br

Dr. Gandhi Bottermund Galli – Médico Psiquiatra
(48) 3263-0197 – Tijucas – SC

Narcóticos Anônimos (NA)

www.na.org.br

Alcoólicos Anônimos (AA)

www.aa.org.br

Al-Anon (grupo de apoio familiar)

www.al-anon.org.br

Nar-Anon (grupo de apoio familiar)

www.naranon.org.br

AE – amor exigente (grupo de apoio familiar)

www.amorexigente.org.br

Publicado em: Drogas, Família, Tratamentos

Tags: ,

Comentar / Ver comentários
Fechar comentários

Comentários

Nenhum comentário ainda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>